logo branca

Como proteger sua pequena empresa contra riscos de segurança cibernética

Receios quanto à segurança cibernética costuma ser o principal motivo para intimidar empreendedores a migrar para o digital ou a investir em novas soluções digitais com potencial de ajudar o negócio a ser mais competitivo.

É compreensível, porque de fato a internet não é um local 100% seguro e virou uma mina de ouro para criminosos. Não são poucas as notícias que saem nos jornais a respeito de vazamento de dados, hackeamento, fraudes eletrônicas e outros para deixar qualquer empreendedor de cabelo em pé.

Verdade que os maiores ataques se concentram em grandes empresas, mas em tempos de crise qualquer peixe garante o jantar.

Mas pense no seguinte: a internet não é um ambiente 100% seguro, mas a rua também não. Você pode ser assaltado, sofrer um acidente, pegar um resfriado, enfim, entendeu o ponto. Nada é 100% seguro. Nem por isso você deixa de sair de casa, certo?

Contudo, também você não sai na rua como um mané dando sopa para o azar. Você tenta diminuir o risco seguindo alguns protocolos, tomando alguns cuidados, como não exibir objetos de valor, andar em locais escuros e pouco movimentados; evitar locais perigosos, etc.

O mesmo vale para a internet. Não é possível garantir que em hipótese alguma será vítima de alguma ação mal intencionada, mas é possível reduzir consideravelmente os riscos adotando algumas práticas e cumprindo certos protocolos.

Neste artigo nos dedicaremos a abordar esses protocolos que uma pequena empresa deve seguir para aumentar a segurança cibernética.

Confira!

Mas primeiro…

É interessante que você saiba quais tipos de ameaças sua empresa está sujeita. Afinal, conhecer as armas do inimigo é um começo para se prevenir.

Vírus: a espreita para o ataque!

Com certeza já deve ter ouvido falar do “vírus”.  Virou sinônimo de ameaça a segurança cibernética, tanto que é usado para se referir as mais diversas ameaças, incluindo as que não atendem por vírus.

Mas você saberia descrever um?  Dica: não é a mesma coisa que um resfriado.

Um vírus digital trata-se de um programa ou código usado para corromper arquivos do sistema e destruir dados. É recorrido para operações que visam interromper funções executadas por computador, roubar dados e até controlar o PC.

Ele se instala em um programa ou documento da máquina e fica inativo, a espera do programa ser acionado para entrar em ação.

Vírus de computador se propaga via links maliciosos de e-mails (spams) ou download de programas.

Adware: iludindo os ingênuos

Essa ameaça a segurança cibernética também é um programa. Seu ardil é direcionar pesquisas em navegador para páginas webs com promoções atrativas e tentadoras.

Ou seja, transfere o usuário para uma página falsa que tem como por objetivo não vender ou sortear um prêmio, mas pegar os dados dos iludidos. Dados que estes fornecem voluntariamente achando que se deram bem.

Fique esperto!

Ransomware: exige resgaste!

Esse é um dos ataques mais recorrentes no Brasil e também o que mais causa pânico. O ransomware é um software que se infiltra na máquina, modifica dados do sistema e bloqueia o acesso do usuário ao computador. Por isso é conhecido como “sequestrador digital”.

A condição imposta para que o acesso à máquina seja restabelecido é um resgaste, geralmente uma alta quantia em bitcoin.

Cavalo de Tróia: presente de grego

Outra ameaça que se instala em programas e pode controlar o computador ou bloquear o acesso a ele. Ele fica inativo, apenas coletando dados e preparando brechas na segurança cibernética.

Spyware: só na espionagem

É um programa de espionagem que funciona em segundo plano. Fica praticamente invisível. Ele é útil para o cracker para coletar dados bancários como senhas de contas digitais e cartões.

Dicas de segurança cibernética para pequenas empresas

Muito bem, conheceu algumas das principais ameaças a segurança cibernética. A maioria deles tem como porta de entrada cliques em links e downloads de programas maliciosos.

Em tese, bastaria não clicar em link algum ou baixar apenas programas confiáveis em locais confiáveis. Mas não é tão simples.

Você pode pensar que o site é seguro e ele não ser. Um amigo pode te enviar uma mensagem com vírus sem ter consciência.

Ficar imune as ameaças é praticamente impossível, mas é possível se blindar das principais ameaças. Veja as dicas abaixo.

Primeira camada de segurança: firewall

É um recurso de defesa do sistema operacional contra ataques externos. O programa impede a entrada de IPs não autorizados no computador. Portanto, jamais deixe o firewall do PC desabilitado.

Antivírus: fazendo a faxina

O antivírus é um programa mais poderoso que softwares maliciosos que se inserem no sistema do computador.

A sua função é bloquear ameaças ativadas por descuido do usuário e fazer uma varredura no PC para identificar se há vírus inativos e assim limpar o computador.

Backup: plano de emergência

O backup é uma cópia de todos os dados da empresa em um local separado do computador.

Esse local pode ser físico, como um HD externo, ou na Nuvem, um serviço de internet que armazena dados de outros computadores e pode ser acessado em qualquer máquina desde que se insira um login e uma senha.

O backup deve ser feito regularmente, pois caso ocorra uma falha na segurança cibernética, o arquivo de emergência será o ponto de partida para o recomeço das operações sem necessidade de se realizar muito retrabalhos.

Conte com suporte especializado

Conciliar tarefas cotidianas e cuidados com a segurança pode facilitar brechas que elevam riscos para a empresa. O ideal é contar com profissionais ou programas que automatizem as principais medidas de proteção.

Um profissional especializado em segurança cibernética irá cuidar de não só educar os funcionários sobre as melhores medidas de prevenção, como trabalhará para manter sempre atualizado as principais barreiras contra ataques.

Serviços de hospedagem como o da Link Oficial oferecem a seus assinantes diversos recursos de segurança para o site de empresas, como backup automático, restauração de arquivos, gerenciamento e instalação de certificado SSL, entre outras ações.

Esperamos que essas dicas de como manter a segurança cibernética de uma pequena empresa tenha sido útil. Se curtiu, curta mesmo, compartilhe ou avalie. O seu apoio e sua opinião são muito importantes para nós.

linkoficial

linkoficial

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.